Global Partners

ACESSAR O SISTEMA

NOTÍCIAS

Allergan, dona do Botox, pode se unir à Actavis

Allergan, dona do Botox, pode se unir à Actavis 17 de Novembro de 2014 (08:51) Caso ou Inexatidão?


Allergan, dona do Botox, pode se unir à Actavis

 17 de Novembro de 2014 (08:51)

Caso ou Inexatidão? 

 

A americana Allergan, produtora do Botox, e o laboratório irlandês Actavis estão perto de um acordo para uma fusão, informou uma fonte familiarizada com o assunto. O negócio, que pode ser anunciado hoje, é estimado entre US$ 62,5 bilhões e US$ 64 bilhões. A Actavis poderá pagar à Allergan entre US$ 210 e US$ 220 dólares por ação, de acordo com a fonte. As duas empresas se recusaram a comentar o assunto.

Nos últimos meses, a Allergan tem tentado se defender de uma oferta de aquisição hostil feita pela farmacêutica canadense Valeant Pharmaceuticals International, que ofereceu cerca de US$ 54 bilhões em dinheiro e ações pela empresa. Diante da resistência, a companhia disse que estava preparada para elevar o valor da oferta para US$ 200 por ação.

A Allergan informou, no início deste mês, que estava em negociações com um segundo proponente e fontes identificaram a empresa como a Actavis, especializada em genéricos. A oferta da Actavis inclui um porcentual maior de dinheiro do que oferta atual da Valeant, segundo fontes.

As empresas vinham tentando estreitar uma diferença de cerca de US$ 3 bilhões entre o que Actavis queria pagar e o que Allergan estava pedindo, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. A Allergan estava buscando mais de US$ 210 por ação, enquanto Actavis queria pagar perto de US $ 200. O valor pode ser superior a US$ 215.

Na sexta-feira, 14, as ações da Allergan, com sede na Califórnia, subiram 1,2%, para US$ 198,65, na bolsa de Nova York, dando à empresa um valor de mercado próximo a US$ 59,2 bilhões.

 

Resistência

Ao resistir à proposta da Valeant, a Allergan descreveu a oferta da farmacêutica como "insuficiente" e argumentou que a empresa canadense vai estripar seu orçamento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e usar seu fluxo de caixa para pagar a dívida acumulada de aquisições anteriores.

A companhia dona do Botox está tentando chegar a um acordo com a Actavis antes de uma reunião de investidores, marcada para 18 de dezembro, segundo fontes. É nesta data que os acionistas votarão sobre a proposta do Valeant.

Desde abril, o investidor ativista William Ackman, da gestora de recursos Pershing Square Capital Management, gastou cerca de US$ 4 bilhões na compra de ações da Allergan, tornando-se um dos seus maiores acionistas. Ele tem trabalhado para que um acordo com a Valeant seja feito. "Agora que a empresa está considerando seriamente uma venda, é da competência do conselho maximizar o valor ao acionista", disse Ackman em carta ao conselho daAllergan na semana passada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 


VoltarOrçamento

Allergan, dona do Botox, pode se unir à Actavis

Allergan, dona do Botox, pode se unir à Actavis 17 de Novembro de 2014 (08:51) Caso ou Inexatidão?

Allergan, dona do Botox, pode se unir à Actavis

 17 de Novembro de 2014 (08:51)

Caso ou Inexatidão? 

 

A americana Allergan, produtora do Botox, e o laboratório irlandês Actavis estão perto de um acordo para uma fusão, informou uma fonte familiarizada com o assunto. O negócio, que pode ser anunciado hoje, é estimado entre US$ 62,5 bilhões e US$ 64 bilhões. A Actavis poderá pagar à Allergan entre US$ 210 e US$ 220 dólares por ação, de acordo com a fonte. As duas empresas se recusaram a comentar o assunto.

Nos últimos meses, a Allergan tem tentado se defender de uma oferta de aquisição hostil feita pela farmacêutica canadense Valeant Pharmaceuticals International, que ofereceu cerca de US$ 54 bilhões em dinheiro e ações pela empresa. Diante da resistência, a companhia disse que estava preparada para elevar o valor da oferta para US$ 200 por ação.

A Allergan informou, no início deste mês, que estava em negociações com um segundo proponente e fontes identificaram a empresa como a Actavis, especializada em genéricos. A oferta da Actavis inclui um porcentual maior de dinheiro do que oferta atual da Valeant, segundo fontes.

As empresas vinham tentando estreitar uma diferença de cerca de US$ 3 bilhões entre o que Actavis queria pagar e o que Allergan estava pedindo, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. A Allergan estava buscando mais de US$ 210 por ação, enquanto Actavis queria pagar perto de US $ 200. O valor pode ser superior a US$ 215.

Na sexta-feira, 14, as ações da Allergan, com sede na Califórnia, subiram 1,2%, para US$ 198,65, na bolsa de Nova York, dando à empresa um valor de mercado próximo a US$ 59,2 bilhões.

 

Resistência

Ao resistir à proposta da Valeant, a Allergan descreveu a oferta da farmacêutica como "insuficiente" e argumentou que a empresa canadense vai estripar seu orçamento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e usar seu fluxo de caixa para pagar a dívida acumulada de aquisições anteriores.

A companhia dona do Botox está tentando chegar a um acordo com a Actavis antes de uma reunião de investidores, marcada para 18 de dezembro, segundo fontes. É nesta data que os acionistas votarão sobre a proposta do Valeant.

Desde abril, o investidor ativista William Ackman, da gestora de recursos Pershing Square Capital Management, gastou cerca de US$ 4 bilhões na compra de ações da Allergan, tornando-se um dos seus maiores acionistas. Ele tem trabalhado para que um acordo com a Valeant seja feito. "Agora que a empresa está considerando seriamente uma venda, é da competência do conselho maximizar o valor ao acionista", disse Ackman em carta ao conselho daAllergan na semana passada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 


VoltarOrçamento